• Casa Nova
  • Prêmio Boas Práticas

OGE

07/02/2019 16:02

OGE realiza vivência CNV para colaboradores do projeto Jovens Comunicadores

Professores e facilitadores do Projeto Jovens Comunicadores participaram na manhã desta quarta-feira (6) da convivência Introdução à Comunicação Não Violenta (CNV). Realizada no auditório do Hotel Vilamar, em Amaralina, a ação foi resultado de uma convite da Companhia de Desenvolvimento e Ação Região (CAR) à Ouvidoria Geral da Bahia (OGE).

A vivência faz parte das oficinas do projeto que tem como objetivo aperfeiçoar a equipe que trabalha diretamente com jovens carentes que vivem nas regiões rurais. “Programamos esse encontro a partir do momento que enxergamos as necessidades dos jovens que vivem nos ambientes rurais. A ideia é que através da CNV possamos nos comunicar melhor com essa juventude”, explicou a coordenadora das oficinas e também jornalista, Emília Mazzei.
Vivência CNV

Já para a facilitadora que trabalha no município de Jacobina, Nilma Gonçalves, a vivência ajudará a melhorar as relações com os jovens. “Somos tão armados, criamos barreiras nas nossas relações, e, muitas vezes, não percebermos isso. A CNV desperta a nossa consciência para aperfeiçoar a convivência com o outro”, ressalta.


Modelo de gestão da OGE, a CNV é uma metodologia voltada para o melhoramento das relações humanas nos diversos ambientes, sejam eles de trabalho, acadêmico ou comunitário. “Ela é eficaz para a boa convivência nos grupos sociais”, completou o ouvidor geral, José Maria, um dos facilitadores do encontro.

A vivência faz parte da Formação Cidadão em Ação, uma ação do projeto Ouvidoria Ativa, e conta com a participação da coorganizadora do Movimento Política Solidária (MPS), Daniella Araújo.

Projeto Jovem Comunicadores

A metodologia do projeto tem como princípio a valorização do jovem como sujeito gerador de conhecimento e ator do desenvolvimento rural e Semiárido brasileiro. As oficinas acontecem em 32 municípios do semiárido baiano, nas regiões de Jacobina, Senhor do Bonfim e Juazeiro.

As oficinas adotam a educomunicação como estratégia de formação, um campo prático- teórico que estimula os jovens a fazerem uma leitura crítica da mídia e a participarem ativamente da produção de peças de comunicação.

O projeto é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), e conta com o co-financiamento do Fundo Inernacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), agência de desenvolvimento da Organização das Nações Unidas (ONU) de apoio a população rurais carentes.  

 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.